terça-feira, 16 de agosto de 2011

Uma historinha.


"Quando ele chegou àquele lugar ela não acreditou. Com aquele cabelo emoldurando um rosto claro, aqueles olhinhos infantis e a voz que mal se ouve ela já sabia que seria o começo do fim.
"Tudo de novo?? NÃÃÃÃÃÃOOO!!!" ela pensava enquanto se deixava levar.

Se pegava olhando pra ele sem perceber; Buscava chamar sua atenção até que ela percebe uma troca de olhares "deve ser minha imaginação!" - mas não era. Eram olhares cruzados, vez ou outra uma forma de se encostar, de se aproximar. Era mesmo o começo do fim.

Era o começo de uma ladainha mental, reviravoltas na cama, pensamento fixo em maneiras de ser reparada. Tudo devidamente correspondido, tudo devidamente dividido até o momento do mais esperado beijo, da mais gostosa mão ao redor do corpo, ao mais alto dos silêncios.

O primeiro beijo é sempre o melhor. Depois disso o afastamento. A boca já era conhecida, o controno do corpo também e ela caiu em desuso como uma calça Lee. Já não encontrava seus olhos e nem sua aproximação. Era o fim daquele fio de vaidade."


2 comentários:

  1. Espero que a minha "historinha" nunca chegue ao fim!

    A namorada.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Júlia!
    Muito legal o post e seu blog!!!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir